quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Boas Festas =)



Oi gente! Como vão?

Desculpem as ausências, eu estou viajando e nunca consigo postar nada quando eu viajo...E o fato de eu estar lendo basicamente um livro por dia (desde o ano passado eu tenho uma meta de ler 80 livros esse ano, e eu tinha lidos, na semana passada, cerca de 70, então eu to correndo... Desejem-me sorte ;D) não ajuda muito, acabo ficando sem tempo. Enfim, a equipe do Pirando com Livros (formada por mim e por mim, mas eu sempre quis dizer "a equipe do Pirando com Livros" hehehe)deseja a vocês um ótimo Natal(atrasadinho), Ano Novo e qualquer outra festa =)

Que 2013 seja repleto de novas conquistas!
Beijos,
Alice.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Resenha: A invenção de Hugo Cabret

Oi galera \o/
Como vocês estão?
Peço desculpas por não estar postando muito, e nem vou dar desculpas porque todos os blogs estão dando  e acho desnecessário repetir =)
Hoje é dia de mais uma resenha haha'
Bora?

Autor: Brian Selznick
Ano: 2007
Páginas: 533
Editora: SM
Nota: 5.0/5.0
Sinopse (fonte): Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo toma conta dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento da máquinas.
A sobrevivência de Hugo depende do anonimato:ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto.
Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e uma homem mecânico estão no centro desta
intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura.


Eu amei o livro. Não parece que estamos lendo um livro e sim que estamos vendo um filme. Das 500 e poucas páginas, menos da metade tem texto, a maioria são desenhos (lindooooos). 

Qualquer pessoa de qualquer idade gostaria de ler o livro, desde uma pessoa de 8 anos até 80 (principalmente quem curte cinema). É fácil de ler. O enredo e os personagens são bem trabalhados, etc...

Se parar pra pensar, temos mistério durante o livro todo, e as respostas são respondidas uma de cada vez e isso torna a leitura mais cativante ainda. 

É um livro pra ler em menos de um dia, então, falta de tempo não é desculpa u-u. 

A resenha 'ta curta, eu sei. Mas fazer o que?
Obrigado pela atenção.
Beijos, 
Alice. 


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Meme: Laços de Incentivo a Leitura


Oi gente :) Fui indicada pela Jaine do blog Leitora assídua para responder um meme que eu 'to vendo em TODO LUGAR, então fiquei muito feliz com a indicação, obrigada, linda! Vamos às regrinhas?


1-Postar o laço no blog.
2- Indicar 10 blogs.
3- Avisar os blogs indicados sobre o Meme.
4-Responder a pergunta: "Qual livro você indicaria para uma pessoa começar a ler?"
5-Comentar no blog que te indicou ao meme.

Qual livro você indicaria para uma pessoa começar a ler?
Depende muito da pessoa...Quando me pedem pra indicar um livro, antes, eu procuro saber que tipo de filmes ela gosta, e então eu penso em um livro que me lembre o filme, etc...Mas vamos indicar um mesmo assim... Como a pessoa vai começar a ler, acho que um livro infanto-juvenil pode ser o ideal. E, não queremos um livro de criança, ao mesmo tempo... (sim, eu estou pensando e escrevendo o que eu penso :P e sim, eu sou chata). Enfiiim, o livro que eu indico é O livro das coisas perdidas.


A leitura é fácil. O enredo maravilhoso. Os personagens bem trabalhados, o ideal. Acho que qualquer pessoa que leia irá gostar, e isso é muito raro. Indico de verdade.

Blogs indicados:
- Isso poderia ser o paraíso;
- Páginas encantadas;
- Bagaço de laranja;
- Emoções em páginas;
- Primeiro livro;

O resto eu deixo livre, quem quiser pegar pode pegar e dizer que eu que indiquei, ok?

Obrigada pela atenção. Beijos,
Alice.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Resenha: As vantagens de ser invisível

Olá povo \o/
Como vão?
Galera, desculpem por não ter postado nos últimos dias. Incrivelmente, eu estou mais ocupada nas férias do que durante as aulas, só que com coisas mais legais, obvio. Bom, hoje é dia de resenha (não, eu não tenho um dia certo '-') *todos comemoram*, então, vamos?

Autor: Stephen Chbosky
Ano: 1999 (eu acho, gente. Não entendi direito)
Páginas: 222
Editora: Rocco jovens leitores
Nota: 5.0/5.0
Sinopse (orelha do livro): Mais íntimas do que um diário, as cartas de Charlie são estranhas e únicas, hilárias e devastadoras. Não se sabe onde ele mora. Não se sabe pra quem ele escreve. Tudo o que se conhece é o mundo que ele compartilha com o leitor. Estar encurralado entre o desejo de viver sua vida e fugir dela o coloca num novo caminho através de um território inexplorado. Um mundo de primeiros encontros amorosos, dramas familiares e novos amigos. Um mundo de sexo, drogas e rock'n'roll, quando o que todo mundo quer é aquela música certa que provoca o impulso perfeito para se sentir infinito.


Confesso, que fiquei interessada em ver o filme, e não ler o livro (e só porque no elenco estão Emma Watson <3 e Logan Lerman <3), mas o filme não ficou disponível em muitos cinemas, então eu pude assistir quando lançou. E, ao andar pela livraria e "dar de cara com a Emma Watson", eu resolvi que leria o livro. O tempo passou e ontem, anteontem ou ante-anteontem (perdoem minha falta de memória), eu resolvi comprar o livro. Nem pensei, só comprei.

Resumindo: julguei o livro pela capa. Mas eu não 'to nem aí, porque eu adorei o livro! A escrita é bem pessoal, eu me sinto TÃO próxima de Charlie. Eu poderia descrevê-lo pra vocês. Tipo, nos mínimos detalhes, mas o post ficaria enorme, então não vou fazer isso. Só vou contar uma coisa sobre ele, algo com que eu realmente me identifico: O livro preferido do Charlie é sempre o último que ele leu. Isso é algo tão simples, mas fala tanto dele. Eu também sinto isso, a não ser é claro, que eu tenha sido "obrigada" a ler. Como livros pra escola. Coisas desse tipo. Basta eu gostar do livro, ele é meu preferido até que eu leia outro. Com Charlie é assim também...

Cada personagem tem uma essência tão grande, isso raramente acontece hoje em dia. Cada palavra, cada diálogo, tão poético. Tão simples e ao mesmo tempo tão complicado. O livro me faz querer chorar quase tanto quanto o meu querido e velho Charlie o faz (e ele chora O TEMPO TODO). 

Eu tinha separado uns trechos pra por aqui pra vocês, mas eles são muito grandes, então, anotem num guardanapo sujo as coordenadas, e quando estiverem numa livraria, na casa de alguém, na biblioteca, ou parados na frente da própria estante, abram o livro nessas páginas e sintam um pouco da essência mágica do livro. E, pra quem ainda não tem, caso fiquem curiosos, comprem o livro. Vale a pena. As coordenadas:

Página 94 e 95. De "Minha avó" até "auspicioso".
Página 131 e 132. De "Não estava" até " nem um pouco".
Página 176. De "Querido amigo" até "chateado com ele".
E, é claro, o trecho que está nas primeiras folhas do livro, de tão mágico (eu não marquei as coordenadas desse por estar separado no início).

Os trechos que eu escolhi são os que me fizeram rir. Os engraçados. E não os poéticos, como o separado lá no começo. Então, ignorem se você não acharem... mágico. Haha.

É isso gente, obrigado pela atenção.
Beijos,
Alice. 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A última casa da rua

Oi fofuchos <3
Como estão?
Estou aqui pra falar de novo sobre um filme, e não um livro, porque eu estou meio que empacada *chora* no livro Emma (Jane Austen). Então, vamos lá...

Bom, o filme escolhido foi: ..... Tan tan tan tan (e dái que está escrito no título?)... A última casa da rua!
Enfiiiiim, meu interesse no filme surgiu quando eu recebi um marca página (junto com outros 49 u-u), que eu tinha ganhado em uma promoção, do livro (A última casa da rua - iD editora)  baseado no filme (odeeeio quando isso acontece ¬¬). Eu olhei bem pra cara da Jennifer Lawrence (que fez a Katniss em Jogos Vorazes) e pensei: Eu quero esse livro. Mas é claro que eu não tinha visto que o LIVRO tinha sido baseado no FILME, e não o contrário. Daí eu decidi ver o filme, que lança dia 07/12/12 (logo *-*).

Enfim, vamos ao trailer?


*U* Quem quer ver levanta a mão! o/
Quem quer ir comigo? *U*

A capa do livro:




















É isso gente!
Obrigada pela atenção!
Beijocas,
Alice.

domingo, 2 de dezembro de 2012

A Hospedeira ~ filme

Olá gente!
Como estão?
Galera, não tenho a menor ideia se foi nesse blog ou no outro (que o google excluiu D=) que eu fiz um post da Hospedeira... Enfim, eu amei o livro e tinha postado o booktrailer e tudo o mais, mas agora não vim falar do livro e sim do filme  que *todos comemoram* vai lançar logo logo =)

Bom, em primeiro lugar, vamos ver e admirar o pôster:



E agora, que já vimos e admiramos, vamos assistir o trailer do filme e esperar ansiosos pelo lançamento?


Quem está ansioso levanta a mão! o/
Quem está determinado a  ir assistir na pré-estréia levanta a mão! o/
Quem não gostou do ator que vai fazer o Ian levanta a mão! o/

Enfiiiiiiiiiiiiiim, é isso!
Beijocas,
Alice.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Resenha: Um mundo Brilhante

Oi gente!
Faz tempo que eu não posto resenha querida, faz tempo que você não posta absolutamente nada, né? Bom, isso não quer dizer que eu não ande lendo u-u
Vou tentar postar com mais frequência, mas o fim de ano ta corrido :P
Enfim, vamos lá?
Autor (a): T. Greenwood
Ano: 2012
Páginas: 336
Editora: Novo Conceito
Nota: 2.0 / 5.0
Sinopse (site da NC): Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato.
Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática.
Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu. 


Eu sinceramente não gostei do livro. Sou fã de finais felizes, e Um Mundo Brilhante não chega perto de ter um. É simplesmente, o livro todo: drama drama drama drama e mais um pouco de drama. Não foi prazeroso ler. Pelo contrario...

Não tenho muito o que falar. Não recomendo o livro. Nem um pouquinho.

Chato e meloso do começo ao fim.

Estou tentando escrever essa resenha a mais de 10 dias, mas não estava conseguindo, então desisti. Não tem o que falar.
Desculpem mesmo pelas férias que tirei de vocês, pra compensar, essa semana vou organizar uma promoção. Por favor não me abandonem! T^T
Amo vocês!
Beijos, Alice

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Meme!

Oi gente!Ontem mesmo fui indicada para um meme da Marie do blog Isso poderia ser o paraíso
Vamos lá?


Três regras básicas:
1 - Copie a campanha acima.
2 - Responda as perguntas.
3 - Indique dez blogs.

1. Você já leu algum livro que mudou a sua vida? Se sim, qual (is) e por quê?
Todos mudaram de alguma forma... Mas vou citar alguns: Querido John (porque ás vezes, o que temos que fazer pelo amor não será agradável para si), A mala de Hana (porque precisamos cuidar do mundo e espalhar a bondade), Orgulho e preconceito (porque nem sempre tudo é o que aparenta ser), A fera (porque a beleza existe tanto interiormente quanto exteriormente), O livro das coisas perdidas (porque sempre podemos sonhar) e A cabana (os motivos são muitos...).

2. Recomende um livro, vídeo ou texto que você acha que influenciaria um conhecido a ler um livro!
Se ideia... Desculpem... 

E não tenho dez blogs pra indicar, quem quiser pode pegar ;)
Um beijãão!




sábado, 3 de novembro de 2012

Continuação... Na tela #1

Oi gente, foi mal não postar antes, não deu tempo...
Bom, continuando o post passado... Dessa vez vou apresentar pra vocês os boooooys de Pretty Little Liars >.<

Caleb












Tenho que começar com ele... Caleb é uma pessoa batalhadora (kkkk), ele não tem família e luta por seu dinheiro, comida e abrigo. Olhar pra ele me deixa com vontade de suspirar mil vezes... E ele é meu marido (u-u). E sim, eu sou idiota, fazer o que... Bom, tudo que posso falar dele é que ele é batalhador e MUITO bonito =)
fonte da imagem

Toby















Toby não é seeeeeempre bonito (tem uma nariz e um queixo estranhos u-u), mas seus olhos e sua personalidade me conquistaram, então... haha'
Bom, ele é uma boa pessoa , embora uma revelação na terceira temporada me fez ficar assustada (e não, eu ainda não vi o episódio, mas tem muito spoiler na net =C ). Ele é gentil, inteligente e compreensivo.

Mr. Fitz / Ezra












Ezra é o professor de Inglês na Rosewood High. E amante da Aria haha'. Ele é maduro, inteligente, lindo e acima de tudo bacana :) O tipo de marido dos meus sonhos, mas por enquanto eu fico com o Caleb mesmo. Nada como um bom Bad boy...

Wren











Lindo não da pra negar que ele é... Ele por enquanto não é muito importante na história, mas tenho uma queda por ele, então tive que incluí-lo... Wren é o ex-noivo de Melissa, e virou EX por beijar sua cunhada Spencer. Ele é de grande apoio pra Spence e depois será pra Hanna. Boa pessoa. E bom mentiroso.

Jason
















Irmão da Ali. Lindo. Misterioso. Impossível decidir se é bom ou mal... Mas ele é lindo. Ás vezes ele parece ser uma ótima pessoa, em outras parece ser A...mas ele é lindo. :P

Também temos Ian, Mike, Noel, Garrett, entre outros boys, mas esses aí, são os mais importantes.
E vocês? Estão interessadas em algum? Sabem de outro garoto importante na série?
Comentem!
Beijos,
Alice.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Na tela #1

Oi povoo!
Como vão?
Desculpem a falta de posts novamente, estou me recuperando ainda da minha preguiça devastadora haha'
Hoje, vamos dar início à mais nova coluna do blog, onde falarei sobre séries e filmes (de preferencia baseados em livros). E pra abrir a coluna, uma série, que eu amo, e que eu estou viciada:

                            



A série foi baseada nos livros de Sara Shepard. 
Rosewood é uma pequena cidade pacata. De tão tranquila e intocada, nunca se adivinharia que detém tantos segredos. Alguns dos piores pertencem a quatro amigas chamadas Spencer Hastings, Aria Montgomery, Hanna Marin e Emily Fields, cujos segredos mais sombrios e escuros estão prestes a ser desvendados.
Um ano atrás, Alison, a lider de seu grupo de melhores amigas, desaparece misteriosamente, sem deixar rastros. Alison as fez acreditarem que seus segredos as uniriam, mas acontece justamente o contrário. Quem poderia dizer qual é a verdade em Rosewood? Parece que todos na cidade estão mentindo sobre algo.
Com o mistério em torno do desaparecimento de Alison, Aria muda-se e depois de um ano retorna a pacata cidade. A partir desse dia, quando todas estão "juntas" novamente, as meninas começam a receber mensagens de "-A" que as faz pensar que Alison ainda estaria viva, contendo coisas que apenas Alison sabia, além de várias ofensas as garotas. Mas não poderia ser Alison, poderia? Com o decorrer da série, são apresentados vários suspeitos. Quem quer que seja, ele (a) parece saber todos os segredos das meninas e está observando cada um de seus movimentos. As meninas são amigas novamente, e elas estarão uma com a outra quando os seus segredos vierem à tona. (fonte)

Eu sou péssima com sinopses, por isso eu nunca faço elas haha' mas, eu vou apresentar a vocês os personagens =)

Aria











Minha favorita, de fato. Aria é estilosa, companheira, compreensiva e "gente boa". Consegue entender a visão dos outros, admite seus erros, etc.. E mesmo assim, não é perfeita. Ela tem um caso com o professor de inglês, e já fez (e ainda faz) muita besteira. E é, uma excelente mentirosa.

Spencer











Não tenho muita afeição por ela. Spence é o tipo de pessoa que precisa ser sempre a primeira. É a mais inteligente. A que sempre consegue o que quer. Bom, ela pelo menos é assim nos primeiros episódios, Spence cresce muito ao longo das temporadas. Descobre um amor, e ele faz muito bem à ela.

Hanna











Típica "patricinha". Gosto demaaaaaaaaaaaais da Han. Ela é a engraçada da turma. Não de propósito. Digamos que, falte um pouco de inteligencia à ela (kkkkkk tadinha da Han), e isso a deixa engraçada. A Hanna tem seus altos e baixos. Ás vezes acerta em cheio, ás vezes erra feio...

Emily











Fofa a define. Emmy é lésbica, e é a pessoa mais fofa do universo. É nadadora. E se veste de forma bem esportiva. É péeeeeeeeee[...]eeeeeessima mentirosa, e não sabe lidar muito bem com notícias ruins... Super inteligente, acho que só perde pra Spence...

Alison











Vaca vaca vaca vaca vaca vaca vaca vaca vaca vaca ... Mentirosa pra caramba. Cheia de mistérios e muito cruel. Controladora e metida.

Amanhã eu posto os boooooys <3
E vocês? Assistem PLL? Comentem!

Beijocas,
Alice.


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Resenha: Garotas de vidro

Yoooooo leitores \o/
Como estão? Desculpem minha ausência de 12 dias (#morre). Eu realmente não estava com cabeça pra ler ou postar, e eu não sabia porque!!
E ontem eu me dei conta de que era porque eu só estava lendo livros chatos (ou difíceis). Meu problema eram determinados livros, não todos. Então eu peguei um livro na minha estante (que minha mãe chamaria de comercial, com certeza - eu ganhei em uma promoção no blog Território das garotas) e comecei a ler. Li ele inteiro ontem =)
Segue aí a resenha:

Autor (a): Laurie Halse Anderson
Ano: 2012
Páginas: 272
Editora: Novo Conceito
Nota: 4.0/5.0
Sinopse (site da NC): Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda.
Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.


Eu realmente gostei do livro, finalmente pude entender as anoréxicas. Mas, apesar disso, não tenho muito pra elogiar, e nem muito pra criticar...

Você pega o livro, e não consegue parar de ler, mas não é algo muito marcante no final (pelo menos pra mim não foi). Não gostei muito da finalização... sei lá, foi meio sem graça... e o Elijah... aaaah D=

Ta, Alice pensa um pouco... O que você mais gostou no livro? Bom, Alice, gostei muito das características dos personagens. A personalidade diferente deles. Emma, Elijah, David, Chloe, Jennifer, Lia e Cassie. O jeito que a Laurie escreve me lembrou muito o jeito como a Tahereh Mafi escreve. Então às fãs/aos fãs de Estilhaça-me, eu recomendo o livro =)

E Alice, o que foi que você menos gostou? Bom, o final, como eu já havia dito, não me agradou muito... Além disso, eu acho que a escritora foi tão .............. (falta de adjetivo! O que eu quis dizer é que por exemplo, no final de quase todo capítulo, depois de um espaço há uma frase como: "ela me ligou"; Ou duas páginas escritas: "Não. Devo. Comer."- algo que a Tahereh Mafi fez também- e outros clichêzinhos) o que chegou a ser irritante. Também senti isso em Estilhaça-me. Mas muita gente discorda de que isso seja chato, pelo contrário, gostam.

Ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei a capa. Muito perfeita! Alguém aí já percebeu que os livro da NC tem um cheiro diferente e mais gostoso!? (sim, você leu certo! ASHUAHSUAHSU)

Já leu? Gostou? Comente!!
Beijooos, obrigada a quem leu tudo!
Alice.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Encerramento da semana de clássicos

Yoo terráqueos!
Como vão?
Hoje teremos o último post da semana de clássicos )=
E, embora a semana especial acabado, eu não parei de ler clássicos, então, mostrarei pra vocês os que eu tenho e ainda não li =)
Em primeiro lugar, um livro que tenho já faz um tempo, e que espero ler em breve:
O senhor dois anéis: O Retorno do Rei
















Todo mundo sabe que eu amo Senhor dos Anéis =3 Mal posso esperar pra ler esse livro!
Outro livro, que eu ganhei no primeiro Clube do Livro aqui de Curitiba. Eu ainda não li, e não pretendo ler tão cedo...É bem difícil.. hehe' Segue aí:
A Moradora de Wildfell Hall
















Essa edição tem uma parte em português e outra em inglês =) Bem da hora!
O próximo é uma obra de minha querida Jane Austen. Comprei ontem no Walmart por R$14,90.
Persuasão
















Quem não viu o último post, passa lá e comenta, porfavoooooooooooooooor =)
Eu amei orgulho e preconceito e vou continuar lendo os livros da Jane até eles acabarem kkkkk
O próximo eu também comprei ontem no Walmart, desta vez por R$9,90 =)
Sonho de uma noite de verão
















Sempre quis ler Shakespeare, mas nunca tanto quanto ontem enquanto fuçava a prateleira bagunçada do Walmart.
Apesar da sujeira da estande, o livro estava embalado e perfeito =)
E o ultimo, mas não menos importante (ignorem Persuasão e Sonho de uma noite de verão, por favor ;D):
Alicia en el pais de las maravillas


























Gente, a diagramação é PERFEITA!
Está em espanhol, porque ganhei de presente de uma amiga da minha família que está no México (pra quem não sabe, eu estive lá em 2009).
Enfim, que as estantes de vocês continuem, repletas de clássicos, assim como a minha.
Beijos,
Alice.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Resenha: Orgulho e preconceito

Oi galerinha!
Como vão?
Hoje teremos resenha de Orgulho e preconceito *-* Me sinto orgulhosa de mim mesma por ter lido esse livro! E eu não falei isso pra zuar o título, ok? é sério =)
Vamos começar?
Autor(a): Jane Austen
Ano: 2010
Páginas: 391
Editora: BestSeller (BestBolso)
Nota: 5.0/5.0
Sinopse: A chegada de um jovem solteiro e rico à vila de Longbourn causa um grande alvoroço na família Bennet, cujas cinco filhas – a bela Jane, a sensata Elizabeth, a culta Mary, a imatura Kitty e a desvairada Lydia – foram criadas com um único propósito na vida: encontrar um bom marido.Orgulho e preconceito, livro que a própria autora considerava “seu filho mais querido”, foi publicado originalmente em 1813, e atravessou os séculos dotado de uma assombrosa vitalidade. Além de uma das mais comoventes histórias de amor já escritas, é uma brilhante comédia de costumes e um estudo profundo da sociedade de seu tempo. A plena compreensão do mundo feminino e o domínio da forma e da ironia fizeram de Jane Austen uma das mais notáveis e influentes romancistas de sua época. A obra Orgulho e preconceito ganhou oito adaptações para a televisão e o cinema, sendo a mais recente estrelada por Keira Knightley e Matthew Macfadyen.

Só uma palavra: Perfeito. E não perfeito como eu chamo todos os livros que eu leio. Aqueles outros livros não são nada comparados com esse. N-A-D-A! E sim, eu estou sendo orgulhosa e preconceituosa, mas algum dia eu vou encontrar uma pessoa como a Elizabeth ou como o Sr. Darcy, e eles vão me mudar, então,  dane-se u-u (Ok, parei ahsuahushaushu).

Nos livros atuais, eu não acho que os personagens sejam tão complexos como nos antigos. Não acho que eles tenham tanta essência como Jane, Sr. Darcy, Elizabeth, Sr. Bingley, Sr. Bennet, e até mesmo Sra. Bennet. Todos os personagens modernos são facilmente compreensíveis. E me fazem pensar: Como serão os personagens do próximo século? Abobados, de certo.

E não foi só o livro da Jane Austen que me causou essa impressão, todos os clássicos causam isso em mim. Tolkien, Christie, Doyle, Verne, etc...

Voltando ao livro novamente... Eu sinceramente acho que esse é o melhor livro do universo. Não foi apenas entretenimento, aprendi demais lendo. Mesmo. E só não vou dizer o que, porque seria clichê demais.

Resumindo: Sabe todas as vezes que eu disse que tal livro deveria ser lido por todas as pessoas do mundo? Esqueçam.

Gente! Esse livro tem que ser lido por todas as pessoas do mundo! (dessa vez não é pra esquecer =D). Leiam. Releiam. E de novo. E de novo. E mais uma vez. Etc...

Obrigada Natália, por me emprestar o livro *-*  Meesmo! Logo eu vou comprar e ter ele na minha estante u-u

Beijos, leitores.
Leiam Pride and Prejudice!
Alice.

domingo, 7 de outubro de 2012

Que livro você consideraria um clássico?

Oi gente!

Quarto post e quinto dia da semana dos clássicos!

Ainda não terminei Orgulho e preconceito, então tenho que inventar coisas pra postar pra vocês =P
Enfim, vamos começar?

Eu estava pensando, o que são livros clássicos? O que leva as pessoas a denominarem assim um livro?

Bom, em primeiro lugar, os clássicos são sempre antigos. Pense em um chocolate. O clássico é o normal. O primeiro. Depois vão se adicionando outras coisas e formam-se outros sabores. Com os livros, digamos que seja também basicamente isso.

Também tem a questão de serem considerados os melhores e mais importantes para o conhecimento e desenvolvimento de cada leitor. 

Então eu pensei: dos livros modernos (não necessariamente modernos, mas que ainda não sejam considerados clássicos), qual você chamaria assim? Que livro (ainda não chamado de clássico) você acha que seus filhos ou netos teriam de ler? Que livro te marcou tanto a ponto de você achar que utilizará as coisas aprendidas com ele até o ultimo de seus dias?

Comentem, gente =)
Um beijão,
Alice.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

100 livros pra ler antes de morrer =)

Oi galera!!
Gente, terceiro dia de semana de clássicos. Alguém tá vendo os posts? Se sim, por favor comentem T.T Estou desanimando...
Estou lendo Orgulho e preconceito, não tenho tempo de fazer um post muito elaborado, pois estou de saída, haha!
Então, segue aí uma lista com cem livros que temos que ler antes de morrer, que obviamente, são clássicos:


100. O Senhor dos Anéis, de J.R.R. Tolkien
99. O sol é para todos, de Harper Lee
98. The Home and the World, de Rabindranath Tagore
97. O guia do mochileiro das galáxias, de Douglas Adams
96. As mil e uma noites, de autor desconhecido
95. Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe
94. Midnight’s Children, de Salman Rushdie
93. O Espião que Sabia Demais, de John Lê Carré
92. Cold Comfort Farm, de Stella Gibbons
91. O Conto de Genji, de Lady Murasaki
90. Under the Net, de Iris Murdoch
89. O Carnê Dourado, de Doris Lessing
88. Eugene Onegin, de Alexander Pushkin
87. On the Road, de Jack Kerouac
86. O Pai Goriot, de Honoré de Balzac
85. O vermelho e o negro, de Stendhal
84. Os três mosqueteiros, de Alexandre Dumas
83. Germinal, de Emile Zola
82. O Estrangeiro, de Albert Camus
81. O nome da rosa, de Umberto Eco
80. Oscar e Lucinda – Uma história de amor, de Peter Carey
79. Vasto Mar de Sargaços, de Jean Rhys
78. Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll
77. Ardil 22, de Joseph Heller
76. O Processo, de Franz Kafka
75. Cider with Rosie, de Laurie Lee
74. Waiting for the Mahatma, de RK Narayan
73. Nada de Novo no Front, de Erich Remarque
72. Dinner at the Homesick Restaurant, de Anne Tyler
71. O Sonho da Câmara Vermelha, de Cao Xueqin
70. O Leopardo, de Giuseppe Tomasi di Lampedusa
69. Se um viajante numa noite de inverno, de Italo Calvino
68. Crash, de JG Ballard
67. Uma curva no rio, de VS Naipaul
66. Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski
65. Dr. Jivago, de Boris Pasternak
64. A trilogia do Cairo, de Naguib Mahfouz
63. O médico e o monstro, de Robert Louis Stevenson
62. As viagens de Gulliver, de Jonathan Swift
61. Meu Nome é Vermelho, de Orhan Pamuk
60. Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez
59. Campos de Londres, de Martin Amis
58. Os detectives selvagens, de Roberto Bolaño
57. O Jogo das Contas de Vidro, de Herman Hesse
56. O tambor, de Günter Grass
55. Austerlitz, de WG Sebald
54. Lolita, de Vladimir Nabokov
53. A decadência de uma espécie, de Margaret Atwood
52. O apanhador no campo de centeio, de JD Salinger
51. Underworld, de Don DeLillo
50. Amada, de Toni Morrison
49. As vinhas da ira, de John Steinbeck
48. Go Tell It On the Mountain, de James Baldwin
47. A Insustentável Leveza do Ser, de Milan Kundera
46. O Apogeu de Miss Jean Brodie, de Muriel Spark
45. Le Voyeur, de Alain Robbe-Grillet
44. A náusea, de Jean-Paul Sartre
43. A  tetralogia Coelho, de John Updike
42. As Aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain
41. O cão dos Baskervilles, de Arthur Conan Doyle
40. A essência da paixão, de Edith Wharton
39. Quando tudo se desmorona, de Chinua Achebe
38. O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald
37. The Warden, de Anthony Trollope
36. Os Miseráveis, de Victor Hugo
35. Lucky Jim, de Kingsley Amis
34. O sono eterno, de Raymond Chandler
33. Clarissa , de Samuel Richardson
32. A Dance to the Music of Time, de Anthony Powell
31. Suite francesa, de Irène Némirovsky
30. Reparação, de Ian McEwan
29. A vida: modo de usar, de Georges Perec
28. Tom Jones, de Henry Fielding
27. Frankenstein, de Mary Shelley
26. Cranford, de Elizabeth Gaskell
25. The Moonstone, de Wilkie Collins
24. Ulysses, de James Joyce
23. Madame Bovary, de Gustave Flaubert
22. Passagem para a Índia, de EM Forster
21. 1984, de George Orwell
20. A Vida e as Opiniões do Cavalheiro Tristram Shandy, de Laurence Sterne
19. A Guerra dos Mundos, de HG Wells
18. Scoop, de Evelyn Waugh
17. Tess of the D’Urbervilles, de Thomas Hardy
16. Brighton Rock, de Graham Greene
15. The Code of the Woosters, de PG Wodehouse
14. O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë
13. David Copperfield, de Charles Dickens
12. Robinson Crusoe, de Daniel Defoe
11. Orgulho e preconceito, de Jane Austen
10. Don Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
9. Mrs Dalloway, de Virginia Woolf
8. Desonra, de JM Coetzee
7. Jane Eyre, de Charlotte Brontë
6. Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust
5. O coração das trevas, de Joseph Conrad
4. Retrato de uma Senhora, de Henry James
3. Anna Karenina, de Leo Tolstoy
2. Moby Dick, de Herman Melville
1. Middlemarch: Um Estudo da Vida Provinciana, de George Eliot
É isso gente! Alguém aí pretende ler esses livros? Eu acho que não conseguiria. Não pelo número, eu consigo ler 100 livros de boa, mas pelo conteúdo mesmo...

Comentem! 
Beijão, Alice.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Resenha: O caso dos dez negrinhos

Heeeeeeeeeeeeeeeeeeey!
Como vão, pessoas?
Cá estamos nós em nosso segundo post da semana de clássicos *-*
Mas antes de mais nada, queria dedicar esse post à minha mãe que está fazendo aniversário \o/ Parabéns, mãe! Te amo!
Vamos à resenha?

Autor(a) : Agatha Christie
Ano: (já devolvi o livro na biblioteca e não olhei o ano :C desculpaaa)
Páginas: 228
Editora: Globo
Nota: 5.0/5.0
Sinopse (skoob): Dez pessoas são convidadas pelo misterioso U.N. Owen para passar alguns dias numa ilha perto de uma aldeia pouco movimentada. Os convidados aceitam o convite e de igual maneira embarcam num barco local para a ilha. Na primeira noite, quando todos já se conheciam razoavelmente bem e conviviam animadamente na sala, ouve-se uma voz vinda das paredes da sala, acusando cada um dos dez presentes de ter cometido um crime, crime esse que apesar de ser despropositado ou inevitável, levou à morte de outras pessoas. O pânico instala-se e mortes inexplicáveis se sucedem, tendo por única pista uma trova infantil.



Ok, não tem palavra pra descrever nada da Agatha que não seja P-E-R-F-E-I-T-O. Tudo, enredo, personagens, local, tudo completamente bem trabalhado e desenvolvido!

Quem já leu livros da ilustre Christie fica pensando em maneiras impossíveis de resolver o mistério. E quem não leu, as obvias. Acontece que a solução não é nenhum dos dois. Consegue ser completamente equilibrada.

E a histórinha (ou seria poema??) dos negrinhos? Jesus, tão perfeito. Tudo tão bem encaixado. Segue aí o textinho tão inocente por um lado e tão macabro por outro:

Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove;
Um deles se engasgou e então ficaram nove.
Nove negrinhos sem dormir; não é biscoito!
Um deles cai no sono, e então ficaram oito.
Oito negrinhos vão a Devon de charrete;
Um não quis mais voltar, e então ficaram sete.
Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles se corta, e então ficaram seis.
Seis negrinhos de uma colméia fazem brinco;
A um pica uma abelha, e então ficaram cinco.

Cinco negrinhos no fotro, a tomar ares;
Um ali foi julgado, e então ficaram dois pares.

Quatro negrinhos no mar; a um tragou de vez
O arenque defumado, e então ficaram três.

Três negrinhos passeando no Zoo. E depois?
O urso abraçou um, e então ficaram dois.

Dois negrinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então ficou só um.

Um negrinho aqui está a sós, apenas um.
Ele então se enforcou, 
e não ficou nenhum.

Quero pedir uma coisa pra vocês: LEIAM! 
E depois que lerem falem para os outros fazerem a mesma coisa. Emprestem se preciso. Só... leiam. Por favor *¬*

É isso, galera. Resenha curta, mas dá pra ter uma ideia do que se trata =)
Beijocas,
Alice.