quarta-feira, 12 de junho de 2013

Resenha: O Mistério do Trem Azul

Olá gente! Em primeiro lugar, feliz dia dos namorados!
A Resenha do Clássico do Mês de maio da saindo bem atrasada... Se liguem!

Autor (a): Agatha Christie
Páginas: 217
Editora: L&PM
Velocidade de leitura: Rápida
Nota: 5.0/5.0
Sinopse: O casamento de Ruth Kettering não satisfaz nem ela nem seu pai o milionário, Rufus Van Aldin. Ruth sente falta de um antigo romance que acabou por obra de seu pai. Sem contar que seu atual marido, Derek Kettering arrumou uma amante. O pai de Ruth então sugere o divórcio e presenteia a filha com o "Coração de Fogo", um rubi muito cobiçado por ladrões e colecionadores. Ela concorda, e Derek se desespera, sem o dinheiro de Ruth, estará em uma enrascada, mas tudo seria mais fácil com a morte de sua esposa... 
Durante a viagem no Trem Azul em direção a Nice, A sra. Kettering é assassinada e o rubi roubado. Por ironia do destino o trem tinha como passageiros o marido de Ruth e sua amante, além de Hercule Poirot, que será encarregado pelo pai de Ruth de descobrir o assassino. A situação é complexa, mas Poirot contará com a ajuda de outra passageira, Katherine Grey, para resolver o mistério.

Eu provavelmente deveria variar mais já que é o segundo (e consecutivo) Clássico do Mês que eu leio Agatha. Mas não me arrependo nem um pouquinho. Foi uma leitura ma-ra-vi-lho-sa.

Pela segunda vez leio um romance policial da Agatha, onde o assassinato acontece em um trem. O primeiro foi Assassinato no Expresso do Oriente; E graças ao Mistério do Trem Azul, da pra perceber que na época em que a rainha do crime escrevia e publicava, roubos e mortes em trens eram bem comuns...


O crime ocorre apenas lá pela página 50, e eu achei isso bastante esquisito. Agora não consigo me lembrar com certeza, mas não acho que tenha demorado tanto nos outros livros de Christie. Mas foi bastante bom conhecer os personagens um pouco melhor antes do mistério começar.

Outra diferença desse livro para os outros da autora, foi a entrada de Poirot, normalmente ou ele aparece de cara ou, se tem uma pequena introdução dos fatos, ele aparece assim que o crime é cometido. Neste livro, porém, ele era passageiro do trem, e por isso apareceu antes do crime ser cometido.

Também gostei muito de Katherine Grey, acho que ela e Poirot tem muito em comum quando se trata de massa cinzenta... Ela me enganou direitinho, assim como Poirot me engana sempre quando finge que não sabe de algo. 

E obviamente, quando o culpado se revelou eu me senti completamente surpresa! Nenhuma novidade, se tratando de Agatha...Mas mesmo assim, tudo se encaixa perfeitamente e mesmo assim, somos incapazes de descobrir o culpado antes de acabarmos o livro.

A resenha ta curta, mas da pro gasto...
Um beijo,
Alice.


4 comentários:

  1. Oi Alice!
    Nunca li nenhum livro da Agatha Christie, mas confesso que fiquei interessada. Mistério bom mesmo tem que ser assim, manter o suspense e revelar o culpado só bem no final!

    PS.: Gostei da resenha. Está curta mesmo, porém não senti falta de nada!
    PS²: Te indiquei para responder uma tag lá no Blog. Segue o link: http://leitoraassidua.blogspot.com.br/2013/06/tag-liebster-award.html

    Bjoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é ótima! Leia :)
      Obrigada, flor!
      Beijoo!

      Excluir
  2. Olá ! Vim avisar que indiquei seu blog pra um selinho ;D

    http://fantasiandocomoslivros.blogspot.com.br/2013/06/blogando-selinho-1-este-blog-merece-um.html

    ResponderExcluir
  3. Oi Alice, tudo bom?
    Li alguns livros da Agatha e adoro, esse eu ainda não conhecia, mas tenho em pdf aqui.
    Gosto dos suspenses da história e esse lembra um pouco Assassinato no Expresso Oriente né?
    Adorei sua resenha!
    Tem post novo e promoção de um Kindle! Vai perder?
    Beijos
    Endless Poem

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, sua opinião é sempre bem vinda :)